Estratégias

Estratégia Short‑Term

An overview of PIMCO’s short-term bond strategy, which is designed to improve on the return potential provided by a typical money market vehicle, with modest additional risk.

A estratégia Short-Term da PIMCO busca melhorar o retorno proporcionado por um veículo de mercado monetário típico. A estratégia Short-Term tem como objetivo maximizar a renda corrente e, ao mesmo tempo, preservar o capital e oferecer liquidez por meio de investimentos no mercado monetário e em títulos de renda fixa de curto prazo. Ela difere das estratégias de mercado monetário tradicionais porque aplica em prazos mais longos e em um conjunto mais amplo de títulos, o que pode gerar retorno relativo excedente com um aumento apenas modesto no risco em comparação com os instrumentos convencionais do mercado monetário.

A estratégia Short-Term da PIMCO busca gerar um nível elevado de rendimento corrente, liquidez e preservação de capital por meio de investimentos em títulos de curto prazo de alta qualidade. A estratégia Short-Term é beneficiada por nossas capacidades exclusivas de projeções econômicas e conhecimento do Federal Reserve Bank e das operações de renda fixa.

Experiência da PIMCO em curto prazo

Aplicações para a estratégia Short‑Term

Filosofia de investimentos e fontes de valor agregado

Gestão de riscos/controles

Estratégias relacionadas

Duration Curta

Informações importantes

​O desempenho passado não é garantia nem indicação confiável de resultados futuros. Todos os investimentos apresentam riscos e podem perder valor. O investimento no mercado de renda fixa está sujeito a riscos, inclusive riscos de mercado, taxa de juros, emissor, crédito, inflação e liquidez. O valor da maioria dos títulos e estratégias de renda fixa é afetado pelas oscilações das taxas de juros. Títulos e estratégias de renda fixa com “durations” (prazo médio) mais longas tendem a ser mais sensíveis e voláteis do que aqueles com “durations” mais curtas. De forma geral, o preço dos títulos cai quando as taxas de juros sobem, e o ambiente atual de juros baixos aumenta esse risco. Reduções atuais na capacidade de títulos de renda fixa da contraparte podem contribuir para a diminuição da liquidez do mercado e o aumento da volatilidade dos preços. Quando resgatados, os investimentos em títulos de renda fixa podem ter valor superior ou inferior a seu custo original. O investimento em títulos denominados em moeda estrangeira e/ou de empresas sediadas no exterior pode envolver um risco maior devido a oscilações cambiais e a riscos políticos e econômicos, que podem ser maiores nos mercados emergentes. Uma obrigação de hipoteca garantidos (OCM) é um instrumento de dívida de multi-classe, apoiado por um conjunto de títulos de hipotecas pass-through ou empréstimos hipotecários. Investimentos em OCM podem envolver um alto grau de risco. Os títulos lastreados por hipotecas e ativos podem ser sensíveis a oscilações nas taxas de juros, estar sujeitos ao risco de pagamento antecipado e, embora geralmente sejam garantidos por um governo, órgão governamental ou garantidor privado, não há garantia de que tal garantidor honrará suas obrigações. Os títulos de alto rendimento com classificação de crédito mais baixa envolvem um risco maior que os títulos de melhor classificação; os portfólios que aplicam neles podem ficar sujeitos a níveis mais elevados de risco de crédito e de liquidez do que os que não o fazem. Derivativos podem envolver certos custos e riscos, como de liquidez, taxa de juros, mercado, crédito e gestão, além do risco de que uma posição não possa ser encerrada no momento mais propício. O investimento em derivativos pode gerar prejuízos superiores ao valor investido. A diversificação não é uma garantia contra prejuízos. A qualidade do crédito de um título ou grupo de títulos específico não garante a estabilidade nem a segurança do portfólio como um todo. Não é possível garantir que estas estratégias de investimento funcionarão em todas as condições de mercado ou sejam adequadas a todos os investidores, de modo que cada investidor deve avaliar sua capacidade de investir a longo prazo, principalmente em períodos de queda no mercado. A diversificação não é uma garantia contra prejuízos. Os investidores devem consultar seus próprios assessores antes de tomar uma decisão de investimento.

Este material contém as opiniões atuais do gestor, que estão sujeitas a alterações sem aviso prévio. Este material foi distribuído para fins exclusivamente informativos e não deve ser considerado uma orientação de investimentos nem uma recomendação de qualquer título, estratégia ou produto de investimento específico.